Informação sobre hipotireoidismo, causas, sintomas, prevenção e tratamento do hipotireoidismo, identificando os diversos tipos existentes.


Hipotireoidismo congênito

O hipotireoidismo congênito é uma das maiores causas preveníveis de retardo mental. Na maioria dos casos, o distúrbio é permanente e resulta de digenesia, agenesia ou disormoniogênese. Menos comumente, a disfunção neonatal pode ser transitória, atribuída à passagem transplacentária de medicações, anticorpos bloqueadores ou à deficiência ou excesso de iodo. Raramente pode resultar de anormalidade hipotalâmica.
Hipotireoidismo congênito ocorre quando a glândula tireoide do recém-nascido (RN) não é capaz de produzir quantidades adequadas de hormônios tireoidianos, o T3 e o T4, resultando numa redução generalizada (lentificação) dos processos metabólicos.


O hipotireoidismo congénito é a produção insuficiente de hormónio da tireóide em recém-nascidos. Isso pode ocorrer por causa de um defeito anatómico na glândula, um erro inato do metabolismo da tireóide, ou deficiência de iodo.

Sinais e sintomas de hipotireoidismo congénito

Recém-nascidos com hipotireoidismo congénito geralmente nascem a termo ou após a prazo. Os sintomas e sinais incluem:
- Diminuição da atividade;
- Grande fontanela anterior;
- Má alimentação e ganho de peso;
- Pequena estatura ou fraco crescimento;
- Icterícia;
- Hipotonia;
- Grito rouco
Muitas vezes, os bebés afetados são descritos como "bons bebés", porque eles raramente choram e dormem a maior parte do tempo.
Os resultados físicos de hipotiroidismo podem ou não pode estar presentes no nascimento. Os sinais incluem:
- Características faciais grosseiras;
- Macroglossia;
- Grandes fontanelas;
- Hérnia umbilical;
- Pele seca;
- Atraso no desenvolvimento;
- Palidez;
- Mixedema;
- Bócio.

Anemia pode ocorrer, devido à diminuição do transporte de oxigénio. Um número pequeno mas significativo (3 a 7%) de crianças com hipotireoidismo congénito tem outros defeitos congénitos.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL